AS MULHERES QUEREM SER ESTUPRADAS ou VIADO BOM É VIADO MORTO!

Acabei de ler uma matéria no site UOL:

“Para espectadores de "Insensato Coração", Cecília sofreu estupro, mas culpam-na pela gravidez.”


Eu não assisto essa novela. Acho-a absolutamente desnecessária em sua sede de retratar a "realidade". Mas algumas coisas precisam ser ditas. Moramos num país machista, com uma visão patriarcal do corpo da mulher. Onde a mulher bebe um pouco mais, o homem vai lá e força o sexo. Beber demais é crime? Isso é estupro, meus queridos! A culpa é da mulher? Será mesmo? Voltemos um pouco no tempo... Meninas e Meninos são criados de maneira bem diferentes no Brasil. Enquanto aos meninos é dado o mundo, às meninas resta apenas a casa. Meninos são estimulados a comer o maior número de meninas possíveis. Meninas, guardem o dom mais precioso que vocês possuem. Meninos quando saem com várias meninas são garanhões, são bem vistos. Meninas quando fazem o mesmo são consideradas vadias e geralmente são expulsas de casa. Algo bem próximo disso, aconteceu nessa mesma novela. Uma garota (filhinha de papai) perdia a virgindade sem o “consentimento” da família. O Pai descobre, bate e xinga a filha e a expulsa de casa. Os espectadores todos ficaram ao lado do pai. Óbvio. Afinal, existe desgraça maior do que ver sua filhinha linda criada com todo o amor e carinho dando o que é dela para um marmanjão qualquer por ai?

Outra cena dessa mesma novela também demonstra o quanto os brasileiros são “evoluídos”. Vejamos. Logo no início da trama, o autor anunciou que pela primeira vez na televisão brasileira uma novela teria seis personagens homossexuais. Ao correr dos capítulos, o autor até tentou fazer uma abordagem séria da temática, mas pressões internas e dos espectadores fizeram-no mudar os rumos da história. Os namorados da novela tiveram que manter uma postura respeitável, não podiam se tocar, nem mesmo dar as mãos, tudo tinha que sugerido, sabe? Meio Ditadura Militar, saca? ♫ Pai, afasta de mim esse cálice, pai ♫ ... Mas os espectadores (vejam só) sacaram e exigiram mudanças. A Família Brasileira não podia ser afrontada por comportamentos permissivos. Sabe o que aconteceu? Os namorados ficaram mais respeitáveis ainda e um outro personagem gay foi morto aos chutes e pontapés por pitboys. A cena por si só chocava pelo realismo. Carinho entre homens não pode, mas bater e matar gays pode? Fiquei pensando, será que é essa a provocação que o autor quer fazer? Mas ao conversar com algumas pessoas sobre a tal morte, o que eu ouvi foi gente dizendo assim: “Bem feito, quem mandou ser gay?”. Pois é... o único personagem gay bem aceitado da novela é um bem afeminado, amigo das mulheres, que fala bem afetado, que anda rebolando e miando. Esse tipo de gay o público aceita. Lógico. É uma caricatura. E caricaturas servem apenas para fazer rir. Bingo! Sacada Genial, não? Dizem que o autor da novela, vai matar os namorados gays no último capítulo da novela como forma de protesto. Ahan, Cláudia senta lá! Mais uma vez o espectador médio dirá: “Bem feito, quem mandou ser gay?”. Como se ser gay fosse uma escolha. Um mero querer ou não querer. Pois é. Não é. Não. Viado bom é viado morto! Essa é a lógica.


Na mesma emissora, só que um pouquinho mais tarde, logo depois da novela, um quadro no programa “Zorra Total” está fazendo um sucesso tremendo. Nele, duas amigas conversam animadamente no vaguão de um trem, se ofendem mutuamente e lá pelas tantas uma delas é encoxada por um homem. Ao relatar o abuso para a “amiga”, a outra lhe diz para aproveitar, já que ela é feia e nenhum homem a quer. Sim. Isso para a emissora é humor. Acreditam? O mesmíssimo humor praticado pelo Rafinha Bastos que em seu show contou a seguinte piada:

"Toda mulher que eu vejo na rua reclamando que foi estuprada é feia pra caralho. Tá reclamando do quê? Deveria dar graças a Deus. Isso pra você não foi um crime, e sim uma oportunidade. Homem que fez isso [estupro] não merece cadeia, merece um abraço."

HAHAHAHAHA HIHIHIHI HOHOHOHO NOSSA QUE ENGRAÇADO, NÃO É SENHOR RAFINHA BASTOS?


Antes de criticar, precisamos entender a lógica do negócio. Qual é o público que consome esse tipo de piada? Para qual público o senhor Rafinha Bastos fala? É o mesmo caso do deputado Bolsonaro! Quem o elege pensa como ele! Quem ri da piada do Rafinha ou do mulher encoxada no “Zorra Total” acha realmente que mulher feia que é estuprada tem que agradecer ao criminoso. Isso é hediondo. É absurdo! Todos os sábados a mesmíssima situação se repete no “Zorra”. É lógico que os atores que fazem a cena são bons, são engraçados e tal, mas tal cena é um desserviço às mulheres. Atualmente vivemos tempos sombrios. Sim. Por um lado, evoluímos em muitas questões. Mas por outro, uma onda reacionária toma conta do pensamento dominante do país. É claro que os “donos do poder” não querem perder seu trono. Anos e anos, séculos e séculos de dominação do macho não se perde assim de mão beijada. Lógico. Atualmente é perceptível que o macho está perdido. Não sabe como se comportar, se é sensível, é viado, se é macho demais, é troglodita e não serve também. Afinal, o que querem as mulheres? Essa nem Freud explica. Mas se formos pensar pela lógica dominante dessas novelas, humorísticos e humoristas, as mulheres querem ser estupradas. Sim. Num país onde uma mulher é violentada a cada 12 segundos; onde uma mulher é assassinada a cada duas horas; onde 43% das mulheres sofrem violência doméstica, isso não é nada engraçado.

 

PS: Recomendo que assistam esse vídeo produzido no Equador sobre o machismo e violência contra a mulher. É excelente!